3ª Edição

Candidaturas ao Prémio MSD de Investigação em Saúde decorrem até Junho

Encontram-se abertas as candidaturas à 3ª Edição do Prémio MSD de Investigação em Saúde.
O prazo foi prolongado e até ao dia 6 de junho de 2021 ainda será possível submeter o protocolo de investigação da sua equipa para que seja analisado pela Comissão de Avaliação deste prémio.
O projeto deverá ser original, inovador e ter um impacto real na população, após a sua implementação. Saiba mais na secção CANDIDATURAS ou consulte o regulamento do prémio.

Projeto que pretende revolucionar tratamento de crianças em choque cardiovascular vence a 3ª Edição do Prémio MSD Investigação em Saúde

É através de uma câmara fotográfica com microscopia eletrónica incorporada que uma equipa de médicos, do Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte (CHLN), pretende encontrar a resposta para o tratamento de crianças com choque cardiovascular, uma situação médica emergente que compromete a distribuição de sangue e oxigénio aos órgãos do corpo. Este projeto científico é o vencedor da 3.ª edição do Prémio MSD de Investigação em Saúde, promovido pela MSD Portugal, que vai apoiar com 10 000 euros a sua implementação.

Muito frequente nos hospitais em todo o mundo, sobretudo nos Serviços de Urgência e Unidades de Cuidados Intensivos, o choque cardiovascular é uma das principais causas de mortalidade em crianças gravemente doentes, aumentando em cerca de 4 vezes a sua taxa de mortalidade e estando associado a pior prognóstico. Embora seja frequentemente diagnosticado, a resposta ao tratamento do choque pediátrico ainda é pouco compreendida e difícil de prever. 

É ao nível da microcirculação, responsável pela entrega de sangue e oxigénio aos tecidos, que se verificam alterações nos doentes graves em choque, pelo que métodos de monitorização para medir a macrocirculação (como a pressão arterial) apresentam um baixo desempenho como marcadores da função cardiovascular nestes casos. 

“O projeto Sublingual microcirculation as a non-invasive assessment tool of cardiovascular performance in critically ill children visa testar um método de avaliação não invasiva da microcirculação sublingual que permita, no futuro, criar modelos preditivos de decisão clínica que possam melhorar o tratamento de crianças gravemente doentes que se apresentem em choque cardiovascular”, explica Mafalda Castelão, Médica Interna de Formação Especializada em Pediatria Médica e representante da equipa do protocolo vencedor. 

Além do trabalho e dedicação desta equipa médico-científica, foram ainda distinguidos dois projetos do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), com a atribuição de duas Menções Honrosas e um prémio no valor de 1 500€ cada:

Redes neurais convolucionais para avaliação do grau de cronicidade em biópsias renais”, da equipa representada por Ana Carolina Pimenta, Médica Interna de Formação Especializada de Nefrologia, do CHUC.

Tear film mediators after corneal cross-linking”, da equipa representada por Celso Costa, Médico Interno de Formação Especializada em Oftalmologia, do CHUC.

O Prémio MSD de Investigação em Saúde, uma distinção criada em 2019, tem como objetivo destacar projetos diferenciadores que apresentam real impacto para o avanço e melhoria da saúde em Portugal, de forma a permitir a sua implementação, estimulando, assim, a investigação científica junto das faixas mais jovens que seguem a carreira médica.

Mais informação sobre os projetos: 

Projeto “Redes neurais convolucionais para avaliação do grau de cronicidade em biópsias renais”

A investigação visa desenvolver e testar um algoritmo de machine learning (ML) para avaliar as lesões crónicas em biópsias renais, acreditando que a análise computacional será mais precisa a prever a evolução da função renal do que a atual classificação visual e subjetiva que resulta da observação humana. Através da aplicação de redes neurais convolucionais (RNCs), um grupo de neurónios artificiais treinados para análise computacional e reconhecimento de objetos, pretende-se automatizar e uniformizar a classificação das biópsias renais de uma forma inovadora, robusta e sistemática. 

Secundariamente, vão ser testadas novas variáveis computacionais e avaliar a sua correlação com características clínicas, laboratoriais, dados da função renal e sobrevida. A doença renal crónica, que se caracteriza pela perda progressiva da função dos rins, afeta, globalmente, mais de 800 milhões de indivíduos, configurando um grave problema de saúde pública. No nosso país, a incidência e prevalência é das mais elevadas do mundo, com mais de 20 mil portugueses atualmente em tratamento substitutivo da função renal.

Projeto “Mediadores no Filme Lacrimal Após Cross-Linking da Córnea”

O projeto procura marcadores que expliquem a variabilidade verificada nos resultados da cirurgia de cross-linking, o tratamento atual para a queratocone, uma patologia oftalmológica que clinicamente induz astigmatismo irregular, miopia e perda de acuidade visual dificilmente reversível, entre os doentes. 

Embora fatores como a idade do doente e a curvatura ou localização do cone tenham sido propostos como importantes, o seu verdadeiro impacto é controverso e a explicação para esta variabilidade permanece, em grande parte, por descobrir. Este estudo propõe-se, assim, a investigar a correlação entre o microambiente inflamatório da córnea dos doentes e estes resultados, colocando a hipótese de que melhores resultados pós-operatórios estarão associados a uma redução nos níveis de citocinas inflamatórias no fluido lacrimal.

O propósito final é a otimização dos resultados pós-operatórios, de acordo com o microambiente inflamatório da córnea. A queratocone tem uma prevalência global superior a 1:2000, já não sendo considerada uma doença rara e afeta doentes jovens, pelo que tem um grande impacto na qualidade de vida, ao longo de toda a vida.